...
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 //Florence

Ir em baixo 
AutorMensagem
Bekks
Escritor
Escritor
avatar

Mensagens : 25
Data de inscrição : 10/10/2012
Idade : 18

MensagemAssunto: //Florence   Sex Set 16, 2016 1:26 pm

Florence estava perdidamente apaixonada por William Frostt, mas duvidava com todas as suas forças que um dia chegaria a admitir aquilo para o garoto. Naquele momento ela só conseguia pensar na bagunça que haviam feito na ilha Keller, e de como aquilo afetaria todas elas dali para frente. Mais do que nunca ela sabia que não podia se aproximar dele, não quando havia um espírito totalmente insano atrás das quatro garotas que haviam o libertado. Florence entre elas sabia que seria a que mais sofreria, Megara havia sentido desespero o suficiente na morena para saber que ela seria seu alvo perfeito. Tão frágil e inconstante... Ela cerrou os punhos, sentindo as unhas afundarem em sua palma, e apesar de não se importar com a dor que sentia, sabia que na manhã seguinte acordaria marcada. Levantou da cama, erguendo sua varinha pelo quarto e recitando ali alguns feitiços de proteção que havia aprendido com Bella, aproveitou para trocar de roupa, pois se sentia completamente suja e desconfortável com as vestes que vestia quando ainda se encontrava na fortaleza. Em movimentos rápidos ela se livrou de todo o seu "traje de guerra", espalhando-os pelo quarto para que mais tarde algum elfo viesse pegar, e mais do que depressa se atirou na banheira de água quente, deixando que seu corpo amolecesse ali dentro.


Teria permanecido ali por horas, se não fosse o barulho insistente de batidas na porta de seu quarto. Ignorou por alguns minutos, pensando que se o fizesse a pessoa finalmente iria embora, mas se surpreendeu ao ouvir a porta abrindo e uma voz conhecida chamar por seu nome. - Will? - Ela sussurrou para si mesma, sentindo suas bochechas corarem e o estômago revirar. - Hm... Já estou indo. - Gritou, direcionando seu olhar para a porta aberta do banheiro, esperando que ele não decidisse ir atrás dela. Passou os olhos pelo cômodo, procurando alguma muda de roupas que pudesse usar para se vestir, sem sucesso. - Droga. - Impaciente ela puxou uma toalha, levantando-se da banheira e enrolando o corpo no tecido macio. Prendeu de forma que não caísse, ou pelo menos esperava que a sorte estivesse, mesmo que pouco, ao seu favor. Respirando fundo ela soltou os cabelos castanhos, deixando que eles cobrissem a parte exposta de seu busto, e reunindo mais coragem do que precisaria para enfrentar Megara mais uma vez, saiu para o quarto, forçando um sorriso.

Will se encontrava na beirada de sua cama, perdido em seus próprios pensamentos enquanto observava com atenção o quarto de Florence. Sentiu vontade de rir, mas a vergonha que sentia pelas roupas sujas espalhadas pelo chão era muito maior. Discretamente ela chutou-as para um canto do quarto, observando William se virar em sua direção. Não se viam a quanto tempo? Duas semanas, talvez... Mas ele continuava a mesma coisa. "Como se alguém fosse capaz de mudar significativamente em duas semanas" Giulia reclamou, fazendo com que Florence revirasse os olhos. Will sorriu, percebendo a confusão que se formava na cabeça da garota. - Ela só é absurdamente chata as vezes. - Comentou meio sem graça, dando passos lentos até o closet próximo a janela, e se enfiou ali para procurar alguma coisa decente para se vestir.

Entre uma quantidade exagerada de roupas que nunca havia vestido na vida - causadas por uma Giulia extremamente consumista e louca - pegou um vestido qualquer e roupas íntimas, vestindo-se no espaço apertado e completamente invisível aos olhos de William. Mordeu o lábio inferior, virando-se de costas e caminhando novamente para perto da cama. - Então... Não que eu não goste de você aqui, só não entendi a sua visita. - Se sentou ao lado dele, suspeitando que havia parecido um pouco grossa demais enquanto falava. Se havia sido ele não percebeu, porque logo em seguida respondeu que havia vindo pela sua jaqueta, que tinha certeza de ter esquecido-a com Florence. Ela baixou o olhar, se lembrando de que de fato havia roupado a jaqueta do garoto, só não sabia que ele havia percebido. E então precisou conter a crise de risos que insistia em começar. Com as bochechas coradas, se esticou para trás do seu travesseiro, tirando dali a jaqueta preta que havia carinhosamente furtado dele em uma manhã chuvosa, após uma aula de voo em que ela estava completamente encharcada. William sorriu, deixando Florence ainda mais envergonhada.

- Escondi para evitar perguntas, e com toda essa história da Helena, estou evitando com todas as forças trocar qualquer palavra com Marc. - Mentiu, imaginando se o garoto acreditaria ou não. A verdade é que com todo o caos acontecendo em sua vida, tanto a descoberta de uma irmã, quanto o acidente na fortaleza, estar perto de William era a única coisa que a impedia de ir a loucura. Isso e a maneira insistente como ele fazia com que ela tomasse seus remédios, mesmo odiando-os.

Mesmo parecendo não acreditar nada na história da garota, William tomou a jaqueta para si, mas logo devolveu-a para Florence. - O que? - Ela perguntou, arqueando confusa as sobrancelhas. "Fica pra você" ele disse, e instintivamente Florence sorriu, sentindo o desconforto em seu estômago ficar cada vez maior. Se perguntava se ao menos havia almoçado aquele dia para estar tão enjoada, mas suspeitava que o motivo de sues enjoos tinha nome e sobrenome. - Ahn, obrigada, eu acho. - Ela odiava a forma como instantaneamente ficava boba perto dele, e se odiava ainda mais por não ter controle algum sobre aquilo. Talvez por isso fosse tão contida e afastada, ao mesmo tempo em que Giulia parecia querer come-lo com os olhos sempre que o via. Desse jeito ficava extremamente difícil esconder seus sentimentos, mesmo repetindo várias vezes que Giulia era daquela forma com todo mundo. Ele tirou a jaqueta de seu colo, e em gestos calmos passou-as pelos ombros de Florence, puxando suas mãos pelas entradas da jaqueta até que ela estivesse vestida.

Florence se permitiu sorrir, mas sentiu o corpo gelar quando as mãos se William pararam em seu pulso. Abaixou a cabeça mais uma vez enquanto ele o puxava para perto, levantando a manga da jaqueta o suficiente para expor as marcas roxas no pulso esquerdo, que alternavam-se com algumas manchas amareladas em volta. "O que é isso Florence?" Sua voz era contida, e ela não sabia se ele sentia raiva ou preocupação. Na verdade era extremamente difícil para ela ter alguma noção do que ele estava sentindo, já que o garoto se comportava como uma parede na maior parte do tempo. Ela era boa com as pessoas, talvez por causa do seu dom, ou por ser muito mais contida do que todos os outros. Mas com William era diferente, como um estranho borrão em sua consciência. Talvez isso tivesse acontecido após o incidente com sua primeira visão do garoto, e depois disso ela havia bloqueado qualquer forma de vislumbrar seu passado ou olhar mais profundamente para qualquer coisa em relação a ele. Era bom, em partes, menos quanto ela precisava saber desesperadamente o que ele achava da situação.

- Eu... - Tentou começar, mas sua voz falhou logo em seguida. Sentiu os dedos de Will passarem pelo local, de uma forma quase carinhosa. "Nathan" Ele falou baixo, e Florence fechou os olhos com força. Não queria que ele odiasse seu irmão, embora fosse compreensível que qualquer pessoa sã o fizesse caso tivesse a mínima noção do mal que ele causava a ela quando não se controlava. Mas não era culpa dele, assim como suas visões ou a forma como seu humor mudava de uma hora para a outra não eram culpa dela. Nathan era família, e ninguém nunca entenderia isso tão bem quanto ela. - Não foi culpa dele. - Tentou amenizar a situação, mas William soltou seu pulso, e Florence suspeitou que se ele não tivesse o feito, a machucaria ainda mais. "Nunca é culpa dele, não é Florence?" Ele reclamou, levantando-se da cama e andando pelo quarto. Ela ergueu um pouco o olhar, assustando-se com a forma como ele parecia preocupado e irritado ao mesmo tempo.

[b] - A culpa foi minha, não deveria ter pego seu casaco. - [b] Tentou mais uma vez fazer com que não parecesse tão ruim quanto realmente era, mas mais uma vez não funcionou. William finalmente parou, virando-se para ela e soltando um longo suspiro. "A culpa não foi sua, e Nathan deveria parar de descontar sua raiva em cima de você." Ele disse por fim, e se dirigiu a porta do quarto. Com um último olhar direcionado a Florence ele saiu, deixando-a com os lábios entreabertos e uma mente completamente confusa. E então com um último suspiro ela deixou que seu corpo caísse na cama. Tinha feito algo errado mais uma vez, e suspeitava que nunca acertaria, pelo menos não com William.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Bekks
Escritor
Escritor
avatar

Mensagens : 25
Data de inscrição : 10/10/2012
Idade : 18

MensagemAssunto: Re: //Florence   Seg Nov 21, 2016 9:25 pm

As lágrimas escorriam por seu rosto em uma velocidade maior do que ela poderia conter, e esse era um pequeno vislumbre do que ela mais temia : o descontrole de seu próprio corpo e de suas emoções. A posição em que Florence se encontrava naquele momento era patética, até mesmo para ela. Estava encolhida no canto de seu quarto, do lado que mais se distanciava da janela, enquanto observava com olhos marejados o fino raio de luz que encontrava seu caminho pela camada pesada de cortina. A ruiva não constumava se odiar por ser como era, e na maioria das vezes não negava que sentia um certo orgulho de ser daquele jeito, por mais louco ou insano que pudesse parecer. Aquilo tudo era ela, e nada podia ser mais bonito que aquilo. Porém naquele momento, Florence desejava com todas as suas forças ser como qualquer outra garota comum, e não aquele furacão ambulante que destruía tudo que tocava. E ao pensar nisso, o fluxo de lágrimas se tornava cada vez maior. Se ela não se controlasse, em pouco tempo seus soluços seriam audíveis em outros cômodos da casa, e isso não poderia acontecer.

Por mais que estivesse na mansão McBride, um lugar normalmente quieto e vazio, havia descoberto a pouco tempo que seus pais já se encontravam na mansão, e a última coisa que precisava era de perguntas e mais perguntas. Ela esfregou as mãos em seus olhos, tentando clarear um pouco a sua visão do cômodo de hóspedes em que se encontrava, mas não demorou muito para que as lágrimas preenchessem seus olhos novamente. Florence ouviu o ranger da porta, barulho que indicava que alguém havia entrado naquele cômodo. Ela soluçou mais um pouco antes de esfregar os olhos novamente, enquanto preparava-se para se levantar e expulsar, quem quer que fosse o intruso que lhe incomodava. Entretanto, foi impedida por um par de braços familiares que agora lhe puxavam para um abraço, ao mesmo tempo em que lhe afastavam do canto escuro, levando-a para a cama. Ela se aconhegou nos braços de Laura, talvez um pouco desesperada demais para questionar de onde havia vindo tanta intimidade, mesmo que a situação em que as gêmeas se encontravam dispensasse tudo aquilo. Não reconhecer Laura era praticamente impossível, o cheiro de sabonete e shampoo era doce, mas em contrapartida suas roupas tinham uma fragrância levemente cítrica. Elas pareciam ter sido irmãs a vida inteira, ao invés de apenas algumas semanas. "Oh, Florence..." Ela sussurrou no ouvido da ruiva, acariciando seus cabelos. Florence ergueu os olhos, agora um pouco menos cobertos por lágrimas. Se esforçou para sorrir um pouco, em uma forma de agradecimento ao apoio que Laura lhe dava, mesmo naquele momento tão difícil para as duas.

Florence não precisava lhe falar nada, Laura sabia exatamente os motivos pelo que a ruiva chorava, apesar de nunca entender a intensidade com que aquelas coisas lhe afetavam. Florence agradecia eternamente pela irmã não carregar aquele fardo com ela, e quando pensava nisso, se sentia grata por ter sido a escolhida para tudo aquilo. Ela acariciou os fios escuros da irmã, ainda chocada com a forma como ela se parecia absurdamente com a sua mãe, enquanto Florence trazia consigo as feições idênticas de seu pai. Eram gêmeas fraternas, afinal, se pareciam mais por dentro do que por fora, apesar de Florence carinhosamente dizer que Laura era como ela, só que sem todos os problemas e paranoias. Ela se sentia grata por carregar aquele fardo consigo toda vez que via Laura, não desejaria toda aquela quantidade de dor a ninguém, muito menos para a garota com quem agora, compartilhava a alma. Laura havia visto muito mais de Florence do que todos de sua família, até mesmo de Ethan.

[continua...]

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Bekks
Escritor
Escritor
avatar

Mensagens : 25
Data de inscrição : 10/10/2012
Idade : 18

MensagemAssunto: Re: //Florence   Sab Nov 26, 2016 11:40 am

Florence estava decidida, certa de que terminaria tudo aquilo de uma vez por todas. O aperto em seu peito enfim relaxaria, e ela poderia se sentir livre mais uma vez. Nas últimas semanas o número de problemas que preenchia sua vida eram tantos, que arrumar alguns deles era uma necessidade, e seu "assunto inacabado" com William Frostt era um deles. Ela respirou fundo antes de apertar firme a mão do elfo doméstico de sua família, e juntos aparataram nos arredores da mansão Fallen Wichbest. A grande mansão se estendia a alguns metros de onde eles haviam parado, e os portões que ela conhecia tão bem, agora lhe causavam medo. Como de costume Florence já sentia a ansia de vômito lhe desconcentrar, assim como a leve tremedeira e a sensação de que deveria sair correndo dali. Ela apertou o celular que carregava, onde a poucos minutos atrás havia enviado-lhe uma mensagem. "Estou chegando" ela dizia, e mesmo que William odiasse aquele tipo de coisa, ela não se importava.

Não esperou muito na entrada da mansão até que os portões se abrissem, e automaticamente se dirigiu até o jardim que ficava nos fundos. Ela sabia que ele a encontraria por lá. Pensou em voltar diversas vezes, e conteve as lágrimas que preenchiam seus olhos. Florence não poderia ser fraca daquela vez, não quando tanta coisa estava em jogo. Então a ruiva seguiu, sentindo a mochila pesar o dobro em seu ombro. Haviam algumas roupas, poções e outros objetos necessários para uma fuga, afinal, seria mandada novamente para o St. Mungus no momento em que descobrissem que ela havia fugido de casa, logo no único final de semana das férias que podia passar fora da clínica. Assim que avistou o lobo na beirada do lago, não segurou o largo sorriso que se abria em seus lábios, uma reação completamente normal quando se tratava de Will. Ela já havia se acostumado com as ações involuntárias de seu corpo na presença do garoto. Era incontrolável, e ela adorava.

A felicidade em vê-lo se transformou em tristeza no momento em que ela se lembrou do motivo de estar ali, e logo seus olhos arderam. Contendo mais uma vez as lágrimas, ela seguiu por uma trilha no gramado até onde o lobo se encontrava. Passou a mão por seus pelos da nuca, sorrindo de canto ao ver que ele havia gostado do carinho. Se abaixou, derrubando a mochila na grama e sentando-se ao lado do lobo, que pouco a pouco voltava a sua forma humana. Florence evitou olha-lo, seria infinitamente mais difícil ir embora se tivesse que o fazer. "Seus pais deixaram você passar o seu único final de semana em casa, por aqui?" Will questionou-a, e Florence apenas sorriu de canto, olhando para a pequena movimentação de peixes nas águas cristalinas do lago. Aquela era uma resposta clara para a pergunta do sonserino. Ela definitivamente não tinha permissão nenhuma para estar ali. - Tenho mais ou menos uns dez minutos até descobrirem que eu saí, quinze até descobrirem onde eu estou, e vinte para fugir antes que me peguem. - Ela falou, sabendo que dificilmente o garoto aprovaria aquela atitude de Florence.

"Eu pensei que você quisesse voltar a Hogwarts no ano seguinte" Ele respondeu, fazendo com que Florence desviasse o olhar. Tudo que a ruiva mais queria era passar mais um ano com o sonserino, mas aquela era uma realidade distante. Agora que havia fugido, era óbvio que dificultariam mais ainda a permissão da garota para estudar mais um ano na instituição, mas não era isso que se tratava. - Eles não vão me pegar, Will. - Dessa vez sua voz saía um pouco tristonha, como se a garota se lamentasse por alguma coisa que William ainda desconhecia. "O que isso quer dizer, Florence?" Era uma pergunta contida, e ela sentia um pouco de seu medo. Respirando fundo, ela se virou para o moreno, absorvendo cada detalhe de suas feições por uma última vez.

Haviam se visto a algumas semanas, e desde então o único meio de se comunicarem havia sido por cartas ou SMS's. Nesse meio tempo, o cabelo de Will havia crescido e parecia mais escuro, como se isso fosse possível. Ela deu uma última olhada em todas as suas tatuagens, desejando se lembrar de cada desenho gravado na pele do moreno. - Eu vou embora, mas não podia fazer isso sem falar com você mais uma vez. - Novamente ela desviou o olhar, temendo ver a reação negativa que o garoto teria. "Não quero que você vá embora" Ele respondeu, de uma maneira que ela quase chorou. Não soou de uma forma desesperada ou como se ele necessitasse da presença dela, afinal, William não era daquilo. Soou como se ele realmente fizesse questão de sua presença, embora não precisasse dela perto, e isso só a quebrou ainda mais.

- Eu gosto de você Will. - As palavras saíram de uma forma doída de sua boca, e a resposta veio quase tão rápido quanto as lágrimas escorreram por sua bochecha. "Eu também gosto de você Florence" sua resposta fez com que ela risse de nervoso. Esfregou o dorso da mão nas bochechas, livrando-se da fina linha de lágrimas que havia ali. - Não Will, você não está entendendo. - Começou, tornando a olhar para o garoto, envergonhada o suficiente para que a cor vermelha das bochechas se fundisse com suas sardas. - Eu amo você, William. - Florence continuou, ficando de pé rapidamente, e jogando por cima do ombro a mochila que havia trazido consigo. Will a acompanhou, um pouco espantado com a intensidade das palavras da garota. - Eu amo você, e não sei como controlar isso. Desde que cheguei a Hogwarts você tem sido mais do que um amigo pra mim, e eu não posso te esconder isso. Você sempre esteve ao meu lado o tempo inteiro, e do nada... Isso aconteceu. Eu fiquei sem reação. As lágrimas tornaram a preencher os olhos de Florence, caindo como uma cascata por seu rosto de uma maneira descontrolada.

- Você esteve lá nos momentos mais difíceis, sabe? E conhece mais de mim do que qualquer outro, foi inevitável. Desde aquele beijo... Eu fiquei maluca, e não sei mais como controlar isso. - Ela cobriu o rosto com as mãos, odiando-se por se lembrar do primeiro beijo que haviam trocado. O lugar era quase o mesmo, com a diferença de que ambos se encontravam a alguns metros dali, mais próximos a floresta que se estendia nos fundos da mansão. Brincavam de forma divertida no gramado, William em sua forma de lobo enquanto Florence lhe acompanhava, entre risadas até tropeçar e cair, com o lobo ao seu encalço. Aos poucos o animal foi dando forma ao garoto, que tentava conter uma crise de risos em cima de Florence, ambos não haviam nem mesmo se tocado da posição em que se encontravam. Quando se deram conta do que havia acontecido, riram de nervoso, até que seus lábios se tocassem em um beijo inocente, embora o desejo de ambos passasse longe disso, e foi isso que aconteceu alguns segundos depois.

O selinho sem jeito deu lugar a um beijo intenso e cheio de desejo, que explanava tudo que os dois haviam guardado dentro de si durante todo aquele tempo. Muito mais do que um simples "gostar", era um beijo apaixonado e desesperado, como se estivessem esperado por aquilo durante a vida inteira. Depois daquilo eles riram, voltaram a se divertir juntos, e no final do dia se despediram com mais um beijo apaixonado. Florence saiu correndo do jardim, ouvindo a voz de William se distanciar enquanto ela corria. Não queria que o garoto a parasse, não queria que ele a impedisse, então apenas correu até os portões da mansão, desejando que eles se abrissem o mais rápido possível para que ela fugisse daquela realidade, por mais perfeita que parecesse ser.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: //Florence   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
//Florence
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Sem asas :: - :: Random-
Ir para: